quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Bomba ! Prefeito de São Raimundo das Mangabeira pode ser preso por fraude

Candidato Rodrigo Botelho Melo Coelho e o prefeito João Francimar de Carvalho Feitosa
Candidato Rodrigo Botelho Melo Coelho e o prefeito João Francimar de Carvalho Feitosa
Blog foi informado que a Superintendência Estadual de Combate à Corrupção (SECCOR) tem todos os elementos para pedir e obter a prisão preventiva do prefeito de São Raimundo das Mangabeiras-MA, João Francimar de Carvalho Feitosa, e do candidato a sua sucessão Rodrigo Botelho Melo Coelho, por fraudes em licitação decorrentes do escândalo da empresa de fachada MN Empreendimento LTDA-ME, de propriedade da esposa de Tiago Ribeiro Dantas, candidato a prefeito de Feira Nova Maranhão.
O esquema funcionava com o direcionamento de licitação e a obtenção de notas fiscais “frias”, para serviços não executados ou executados pelo Município em substituição a empresa contratada.
Em São Raimundo das Mangabeiras, após a operação que levou a prisão de Tiago Dantas e outros, o prefeito quis interferir e de fato interferiu na investigação ao mandar fazer as obras de reformas e ampliação de escolas a cargo da MN Empreendimento que não tinham sido executadas, apesar da emissão de notas fiscais fraudadas. Tudo foi investigado pelo Ministério Publico local, que tirou fotos e colheu depoimentos, comunicando o fato a SECCOR.
A Superintendência de Combate à Corrupção, por representação criminal, já sabe, ainda, que o prefeito João Francimar e o candidato Rodrigo Coelho respondem ação de improbidade administrativa, no processo n. 89 -49.2015.8.10.0129 na Comarca São Raimundo das Mangabeiras, porque teriam praticados os mesmos crimes tendo a empresa Quito Construção e Serviços LTDA-ME, de propriedade de Júnior Batateira – que é candidato a vice na chapa de Rodrigo, como fornecedora de notas fiscais por serviço de coleta de lixo que não realizou.
Segundo o promotor Renato Ighor Viturino Aragão, “o Réu JOÃO FRANSCIMAR DE CARVALHO FEITOSA acatou a proposta de preço superfaturado feita por sua equipe da CPL; determinou a realização de uma licitação e assinou contrato com a empresa Ré em valores exorbitantes em comparação com a realidade local e regional; consentiu que se utilizagem máquinas e servidores públicos na limpeza por parte da empresa Ré; autorizava o pagamento de combustível aos carros usados na limpeza da cidade; feriu o principio da moralidade e impessoalidade ( fls. 28 do Processo n. 89-49.2015.8.10.0129).”
Quanto a Rodrigo Coelho, o representante do Ministério Público, após investigação, confirmou que “…os pagamentos aos trabalhadores da empresa QUITO CONSTRUÇÃO E SERVIÇOS LTDA-ME eram feitos em dinheiro vivo, dinheiro este que era levado por RODRIGO BOTELHO MELHO COELHO à Secretaria de Limpeza municipal (fls.14, do Processo n. 89-49.2015.8.10.0129).”
O promotor chegou a indagar sobre “qual motivo induzia o Sr. RODRIGO BOTELHO MELO COELHO, assessor especial do Prefeito, levar dinheiro vivo para uma Secretaria Municipal a fim de pagar funcionários de uma empresa contratada pelo Município?”.
Os investigados, segundo conta nos autos da apuração, estão sendo defendidos pelo escritório do advogado Daniel Leite, membro do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA), que tem grande prestígio com o desembargador e relator José Joaquim e vários outros integrantes do Egrégio Tribunal de Justiça.
                           WWW.CARLOSNOTICIAS.COM.BR
fonte blog do luis Pablo em parceria com o portal Carlos noticias juntos pela informações !     
10-08-16   AS 14:43 HS

0 comentários :

Postar um comentário